Secretária Municipal de Saúde contradiz diretor da UPA Bernardo Sayão



Num conjunto de informações prestadas ao titular do Ministério Público Estadual da Saúde em Imperatriz, promotor Newton de Barros Melo Neto, o diretor da UPA da Bernardo Sayão, médico André Leôncio de Alencar Santos, desinformou a autoridade: classificou de “desestruturado” o Hospital de Campanha de Imperatriz, com 69 leitos (10 dos quais de UTI), montado em menos de um mês e que de 24 de abril até ontem, 23, já deu alta as 67 pacientes e permanecia com quase 50 internados.

Sobre a UPA do São José, vistoriada pelo secretário de Saúde do Estado, que ficou de instalar ali leitos de UTI, Leôncio disse, agora, que a mesma é desestruturada; “informou” ao MP que o Socorrão, única porta de entrada para urgência e emergência para mais de 800 mil moradores de Imperatriz e cidades de três estados, teria que sair da sua função por causa da pandemia e, por fim, “propôs” transferir as crianças do Socorrinho para a UBS da Vila Nova, para que o hospital infantil, cujos leitos são berços, interne vítimas adultas do cornavírus.

Ontem, no final do dia, a secretária municipal de Saúde, Mariana Jales, se pronunciou oficialmente, tentando desfazer o mal-estar que atingiu principalmente a equipe do Hospital de Campanha, que tem repetido todos os dias, com registros oferecidos ao público, a liberação de doentes tradados por uma equipe que tem se mostrado muito competente.

Sobre o primeiro Hospital de Campanha Covid-19 no Maranhão

É desumana a notícia de que o Hospital Municipal de Campanha não tem estrutura. Até a data de 21 de maio atendeu mais de 100 pacientes com internação, com muito zelo, profissionalismo dos profissionais que sofrem com as notícias falsas e que promovem o pânico. Ali existem 49 leitos de enfermaria e 10 de UTI, equipados com respiradores, aparelhos de gasometria, raio X portátil, dentre outros aparelhos.

Ressalte-se que a Secretaria Municipal de Saúde empenhou esforços para garantir a qualidade do serviço, preocupando-se com todos os detalhes, serviços e itens necessários: especialidades médicas para atendimento dos pacientes, serviço de lavanderia especifico para o hospital, alimentação com acompanhamento por nutricionistas, instalação de rede de oxigênio para os leitos de UTI e fornecimento de balas de oxigênio para todos os leitos de enfermaria; coleta, transporte e disposição final do lixo hospitalar, prestação do serviço de hemodiálise, exames laboratoriais, serviço de limpeza e desinfecção, enxoval hospitalar, medicamentos e todos os insumos necessários para tratamento adequado dos pacientes.

Sobre a UPA São José
Não procede a informação de que falta pessoal; apesar de vários profissionais terem que se afastar por serem do grupo de risco para o COVID-19, servidores de outras Unidades foram deslocados para os plantões.

Em relação a estrutura da UPA São José, ressalta-se que já está sendo implantada a Ala Covid-19, com instalação da rede de gás apropriada e respectivos respiradores para criação da sala vermelha; instalação de poltronas e leitos de enfermaria para atendimento exclusivo dos pacientes suspeitos e confirmados de covid 19, com objetivo de evitar a contaminação de pacientes com diagnósticos diferenciados. Os pacientes que não têm sintomas, estão sendo encaminhados para o Hospital Municipal de Imperatriz para continuidade no atendimento e tratamento.

Na UPA São José, nos últimos de 9 dias, foram realizados 1.619 atendimentos a pacientes suspeitos de covid-19.

Sobre atendimento no Socorrão
Trata-se do ÚNICO hospital geral de urgência e emergência porta aberta do Sul do Maranhão, referência para 4 regionais, totalizando 43 municípios com demandas de Alta (neurocirurgia) e Média Complexidade (ortopedia, bucomaxilofacial, cirurgia geral, plástica, vascular, urologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, etc.

Em março de 2020 tivemos 1.500 pacientes de outros municípios e de Imperatriz, regulados pelo Núcleo de Regulação, 93 pacientes de UTI.

Em março, abril e maio o Núcleo de Vigilância Epidemiológica do HMI notificou 93 casos de pacientes considerados suspeitos ou confirmados da COVID-19 que foram atendidos nos leitos de isolamento do Posto 02.

Não confere a notícia de “350 (trezentos e cinquenta) leitos de enfermaria com uma quantidade considerável vazias”. Na verdade são 230 leitos de enfermarias para diversas especialidades, incluindo os de isolamento do Posto 02, destinados a atender pacientes com doenças infectocontagiosas, como H1N1, meningite, tuberculose e HIV, dentre outros. Esses leitos de enfermaria se encontram com taxa máxima de ocupação.

O HMI realizou 362 cirurgias no mês de abril de 2020, nas mais diversas especialidades; dispõe atualmente de 20 leitos de UTI Adulto, com permanente ocupação de 100%. em decorrência da grande demanda de urgência e emergência.

Devido a pandemia, foram reduzidas as ofertas de leitos de UTI da Secretaria Estadual de Saúde, o que tem sobrecarregado ainda mais o HMI.

Sobre Socorrnho


Hospital Infantil de Imperatriz é referência em pediatria para 43 municípios, porta de entrada para pacientes suspeitos e confirmados pelo COVID-19. Dispõe de um Pronto Socorro Pediátrico com dois médicos no plantão 24hs, contando ainda com outras especialidades de retaguarda. Além disso dispõe de 70 leitos de enfermaria, sempre ocupados total ou parcialmente.

Devido a situação atual, os fluxos de atendimento sofreram algumas mudanças, objetivando um atendimento com mais segurança. Para isso, em reunião junto a Regional de Saúde do Estado ficou determinado que o Socorrinho seria a única referência da região para crianças com covid-19, com todo o suporte necessário, incluindo 8 leitos de enfermaria e 2 de UTI pediátrica.

Agora dr. Leôncio sugeriu ao MP que as crianças sejam desalojadas do Socorrinho e levadas para a UBS da Vila Nova (que só funcionou para esse fim, EMERGENCIALMENTE, quando do incêndio do HMI).

É inadmissível, desrespeitoso e uma afronta ao direito constitucional não ofertar às crianças tratamento específico e adequado para enfrentamento da covid-19, e por isso a Secretaria Municipal de Saúde não compactua com a transformação do Socorrinho em hospital adulto para pacientes da covid-19.


Sobre ambulatório do Centro de Convenções de Imperatriz


O município de Imperatriz abraçou o projeto e não mediu esforços para que o ambulatório se tornasse realidade.

É com satisfação e dever de responsabilidade que a Secretaria Municipal fornece diariamente exames de tomografia através de empresa contratada, geradores de energia, serviço de segurança com a Guarda Municipal, medicamentos, balas de oxigênio, serviço total de limpeza e desinfecção, coleta, transporte e destinação final do lixo contaminado.

Compreendendo que é de interesse da população que se sustente o clima de colaboração (sem politização), a Secretaria de Saúde se disponibiliza a receber, a qualquer tempo, o senhor Diretor da UPA da Bernardo Sayão para que, enfim, conheça com propriedade toda a nossa estrutura que, apesar de assoberbada, tem respondido, com competência, tecnologia e, acima de tudo, coragem e sacrifício pessoal de tantos profissionais que não arredam pé das suas responsabilidades.


Mariana Jales de Souza
Secretária Municipal de Saúde

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rose Vicentini é a vice na chapa encabeçada por Marco Aurélio à Prefeitura de Imperatriz